You are currently browsing the tag archive for the ‘publicação’ tag.

Feira URCA II no Ateliê da Imagem.

Sábado 02 de Julho- 12:00 às 19:00 h.

urcaII_participantes3

Terceiro zine da série. Compilação de fotos inusitadas, inspiradoras, loucas e (de vez em quando) assustadoras.

001

 

002003004005

O Cuzinho Experimental, um selo que é uma orgia entre Cozinha Experimental, Presença e Dodo, lança mais uma publicação excitante. Se lambuzem!

001002007005006004003

Idealizada pela Galeria Vermelho, a Feira Tijuana de Arte Impressa, teve sua primeira edição em 2009, a partir de uma parceria com o Centre National de L’Édition et de L’Art Imprimé (CNEAI, França). Trata-se de um espaço anual de apresentação, distribuição e comercialização de publicações, livros de artista, gravuras, pôsteres. Conta com a participação de editoras, coletivos e artistas nacionais e internacionais. Ao passar dos anos o Tijuana foi se especializando na produção editorial e de impressos da América Latina.


Data: 7 e 8 de maio de 2016
Horário:10h às 17h
Local: Escola de Artes Visuais Parque Lage (Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, Rio de Janeiro – RJ)
*sujeito a lotação

13173225_699939100144402_7870296852853635054_o

Dia 30 de abril estaremos lançando dentro da exposição Formato Indefinido uma nova publicação, parceria da DODO com a Cozinha Experimental, que é o  primeiro fruto executado em nossa nova sede, a Oficina do Prelo.

É um trabalho de Araújo Vasconcelos. Uma reapropriação, um remix, um sample retirado da hq El Sueñenro de Enrique Breccia.

remix001remix002remix003remix004

A exposição Formato Indefinido conta com um time de artistas e editores de primeira e terá outros lançamentos! Não perca!

divulga

 

É com muito prazer que a DODO Publicações em parceria com o selo Cuzinho Experimental lança a Coleção Caderno Rosa.

001

Neste fim de semana, na feira Pão de Forma, você poderá adquirir o seu exemplar.

O primeiro artista da coleção é Iuri Casaes. Confira algumas fotos e fique com água na boca.

002

003

004

005

006

Esta edição do nosso acervo pessoal de zines é internacional. Uma boa oportunidade para conhecer o trabalho de zineiros e editoras de zines mundo afora.  São zines imagéticos, que valem mais a pena serem vistos do que descritos. Temos três opções para hoje:

Future Fantasteek de Jackie Batey

Imagem

Imagem

Imagem

Baixe o pdf aqui.

Para conhecer mais.

Domicile Conjugal de Yuka Katagiri

Yuka01

yuka02

Yuka03

Baixe o pdf aqui.

Mais informação aqui.

Two Hands Hold Hollow Claps de Michael Spider

Kaugummi01

Kaugummi02

 Kaugummi03

 Baixe o pdf aqui.

Mais informação aqui.

Iniciamos os pdfs das Edições Catador com os zines mais trabalhosos da série até agora, os 4 volumes de FRANK de Jim Woodring. Miolo fotocopiado e tingido em mimeógrafo, capas serigrafadas que juntas formam um desenho único.

Mas nem tudo foi alegria nesta série. A impressão da capa custou o emprego por justa causa de toda a equipe de serigrafia, como pode ser verificado nesta foto dos registros das cores.

Mas vamos ao que interessa:

591

592

593

594

A dodo publicações orgulhosamente apresenta seu pacote de zines sortidos. São quatro zines, que vc pode adquirir pela bagatela de 5 reais. São pacotes devidamente serigrafados e selados. Aos mimados fica o aviso, não tem essa de escolher, é ao acaso.

Adiantamos que vcs poderão encontrar alguns zines das edições catador (mais detalhes nos próximos posts), Arrotinhos Curry, zines antigos que copiamos do nosso acervo e outras publicações do gênero que encontramos por ai e nossa máquina gentilmente e aleatoriamente coloca nos pacotes.

Mais informações, entre em contato por email, por coment ou nos visite em nossa barraca na Praça São Salvador, bairro de Laranjeiras, Rio de Janeiro, aos domingos, a partir das 11 horas. Estaremos lá com nossa editora irmã Cozinha Experimental.

Fotos de Michelle Ludvichak

XUPAXU (CHUPA-SHOE) [1994]

Eu conheço um cara
que trampa de engraxate,
só que ele tem tara
na bota de combate.
Não usa flanela,
não lustra nem escova,
só passa a língua nela,
mas deixa que nem nova.

Tá doido! Que serviço asqueroso!
É lógico que esse é um trabalho para o Glauco Mattoso!

Se não tiver bute,
serve até sapato.
Pode ser quichute
que ele dá um trato.
Tenha bico fino
ou venha com poeira,
serve até menino
na base da zoeira.

Pisante de calouro
ou de veterano,
ele lambe o couro
até ficar brilhano (brilhando).
Limpa cano alto,
limpa até por baixo,
tira pó do salto,
tem língua de capacho.

Tira pó da beira,
tira pó da sola.
Se grudou sujeira,
na hora ele descola.
Ele não é bicha,
nem punk, nem de circo,
mas como ele capricha
quando abocanha o bico!

Tênis de bandido,
chanca de zagueiro,
tudo encardido,
soltando aquele cheiro;
o cara esfrega a baba,
você nem imagina;
depois que ele acaba,
fez a maior faxina.

Estamos disponibilizando o impressionante zine do poeta Glauco Mattoso, o Jornal Dobrabil, publicado ao longo de quatro anos no fim dos anos 70. A publicação é inteira datilografada, um trabalho realmente impressionante. Quanto a sua concepção temática, o autor mesmo declara que tinha “uma proposta estética que credenciava meu trabalho, a COPROFAGIA. Fiz a apologia da merda em prosa & verso, de cabo a rabo. Na prática eu queria dizer pra mim mesmo e pros outros: ‘Se no meio dos poucos bons tem tanta gente fazendo merda e se autopromovendo ou sendo promovida, por que eu não posso fazer a dita propriamente dita e justificá-la?’.

Agradeço ao João, que tinha a compilação em casa e me emprestou pra tirar xérox. Valeu João! Também aproveito pra pedir desculpas por algumas páginas estarem meio falhadas, mas é que o xérox ficou ruim.

Segue o jornal dobrabil em duas partes, por conta do tamanho do arquivo:
baixe aqui jornal dobrabil parte1
baixe aqui jornal dobrabil parte2













DE DUVIDA [1976]

     "and there are no truths outside The Gates of Eden." (Dylan)

o dedo
a forma
o dedo mas a forma
o débil dedo mas a fóssil forma
o sim do débil dedo mas o não da fóssil forma
da forma o não do dedo
do dedo o sim da forma
o sim
o não
o deformado
deforma o centro
o dedo, embora
a fóssil forma morre do lado de fora
e o débil dedo vive do lado de dentro
                        das Paredes do Crânio

a vida
a grade
a vida mas a grade
a vígil vida mas a grácil grade
o sim da vígil vida mas o não da grácil grade
da grade o não da vida
da vida o sim da grade
o sim
o não
a gravidade
gravita o centro
a vida, embora
a grácil grade morre do lado de fora
e a vígil vida vive do lado de dentro
                        das Paredes do Crânio

o dedo a vida a forma a grade
a livre prisioneira a presa liberdade
o circunscrito centro
onivolente, embora
a realidade morre do lado de fora
mas a verdade vive do lado de dentro
                        das Paredes do Crânio

Páginas

%d blogueiros gostam disto: